3 de set de 2010

MELIPONICULTURA - Fernando Oliveira escreve alguns ensaios sobre Criação de Abelhas Nativas Sem Ferrão na Amazônia

Escreva um comentário, você vai motivar este trabalho
                                                                               
Criei este espaço para divulgar um pouco das coisas que vi e vivenciei com Meliponicultura aqui na Amazônia. Estarei divulgando de maneira executiva, informações com foto e texto. Depois a turma fica a vontade para entender e ou escrever o que quiser
fernando-am@ig.com.br - skype: fernando-am10 - (92) 9112.8111. 

12 comentários:

  1. Amigo Fernando Oliveira.

    É muito bom, mas muito bom mesmo receber a visita de um meliponicultor experiente como você e ainda receber elogios.
    O Blog da AME-RIO, existe para de alguma forma divulgar a nossa associação e principalmente para tentar divulgar a meliponicultura, como uma atividade prazerosa e viável.
    Em nossa associação reunimos meliponicultores experientes e também iniciantes, como acontece comigo, que tenho apenas um ano de estudo e bem menos de prática.
    Mas estudando um pouco sobre meliponicultura, já tive oportunidade de encontrar vários trabalhos seus, tanto na Apacame e em vários artigos na Internet e também nos arquivos do ABENA. Você sempre foi uma das pessoas que eu desejava vir um dia conhecer.

    Agora conhecendo o seu Blog - Criação de Abelhas Sem Ferrão na Amazônia - fico ainda mais contente.

    Fernando, parabéns pelo seu trabalho na meliponicultura e pelo seu blog, com certeza ele vai entrar na relação dos blogs que recebem regularmente minhas visitas. E vou continuar aprendendo muito contigo.

    Um grande abraço, o seu blog também já está na relação de Blogs dos amigos da AME-RIO.

    ResponderExcluir
  2. José Halley.
    Obrigado por apreciar o blog.
    Reitero meu prazer de ver a Meliponicultura no RJ tão bem conduzida e assessorada.
    Tá aí mais um motivo de eu passar o fim de ano no RJ, gostaria muito de conhecer todos por aí e as abelhas cariocas.
    Obrigado e um forte abraço.
    Do amigo Fernando.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernando,
    Meu nome é Branca Duboc e estou escrevendo um livro ficção que conta um pouco do Pará, um pouco das comunidades tradicionais, um pouco de ecologia e um pouco sobre iniciativas sustentáveis sócio-ambientais. O objetivo não é fazer o leitor ser um especialista em nenhum assunto, mas, tornar vivas essas questões importantíssimas e tão ignoradas. Uso uma linguagem fácil e divulgo a apaixonante trajetória que alguns seres humanos fazem em defesa da vida...Tenho acompanhado o seu trabalho e pra mim, você e o PNN são dois grandes ícones no assunto...eu tb sou do Rio. Converso com o Richardson do Pará, foi ele quem me falou de vc e desde então fui pesquisando...Este ano vou ao Pará de novo para revisar o que já escrevi e continuar escrevendo, citando todos os marcos históricos ao longo de 10 anos. Apesar da distância não há como ignorar a Amazônia, onde está o que resta do Planetinha Terra. Enfim, meu imenso respeito e admiração pelo seu trabalho. Estou aqui ainda engatinhando em minhas pesquisas e entrevistas. Se for possível encontrá-lo em algum momento será uma imensa honra. As suas contribuições foram geniais...
    Abraços Branca.
    Meu email: bpedrinha@yahoo.com.br
    Meu cel: 21 21 93141195

    ResponderExcluir
  5. Ilustrissimo Fernando, desculpe pela falta de atenção quanto ao modelo da colméia, tenho muito que aprender sobre a arte da meliponicultura. Seu blog é extremamente bem elaborado e espero consultálo várias vezes. Aqui na minha região, estou realizando um trabalho de pesquisa sobre as abelhas nativas no que se refere a riqueza e abundância.

    Grande abraço e vou repassar para amigos o Modelo Fernando de colméia.
    Grande Abraço.
    Jansen Brito
    Campina Grande-PB
    Brasil.

    ResponderExcluir
  6. Olá amigo Fernando...,
    se possível,quando tiver tempo poste alguma coisa sobre ração protéica para abelhas nativas,pois vemos algumas experiências na internet(eu mesmo já usei),mas gostaria de uma opinião mais profissional...,se você tiver alguma receita própria,ficaria muito grato...

    Grande abraço.
    Paulo Romero.
    Meliponário Braz.
    João Pessoa,PB.

    ResponderExcluir
  7. Então Paulo.
    No Amazonas é tão fácil criar abelhas que a unica alimentação é água e açúcar, pólen tem a vontade. O que eu fazia era deixar as abelhas em paz, e se necessário um pouco de xarope, o resto era com elas.

    Abraço
    Fernando

    ResponderExcluir
  8. Fernando, é muito bom saber que em nosso país podemos contar com pessoas empenhadas em causas nobres como a meliponicultura. A cada dia que passa me encanto mais com esse mundo novo que descobri a pouco.
    Aqui na região norte do estado de Minas Gerais podemos perceber como o meio ambiente foi ao longo do tempo castigado com a derrubada de árvores seja para carvão ou criação de áreas para pastagens. Dificilmente encontramos uma abelha que seria de incidência nessa região - a mandaçaia (MQA).
    Me sinto honrado e feliz por hoje estar contribuindo com a preservação dessa espécie e quem sabe, com o repovoamente dela na região de cerrado aqui de MG.
    Parabéns e muito obrigado por repassar um pouco do seu conhecimento a todos nós.

    ResponderExcluir
  9. è muito legal ver a meliponicultura avançar tão rapidamente.
    Vc está de parabéns pelo trabalho de preservação que vem fazendo.
    Desejo muito sucesso e vida longa para os meliponíneos.
    Abraço, Fernando.

    ResponderExcluir
  10. Belo blog!!!! Parabéns!!!! Isso nos incentiva cada vez mais à preservas nossas abelhas e realizar novos projetos. Att: Luciano

    ResponderExcluir
  11. Olá Luciano, tudo bom.
    Vc está com alguma página na Internet?
    Caso sim me passa o contato.
    Prazer enorme retomar contato com vc.
    Abraço
    Fernando

    ResponderExcluir
  12. Muito interessante esse seu trabalho desenvolvido na Amazônia, você está de parabéns.
    As abelhas, como os demais insetos, também se utilizam dos efeitos aerodinâmicos para voar assim como os aviões e helicópteros.
    Grande abraço .
    Acesse o blog http://fernandes-aerobrasil.blogspot.com

    José Fernandes

    ResponderExcluir

Seguidores