19 de mar de 2015

Desconstrução da Informação


Pra mim, a desconstrução da informação foi o saldo deixado pelo técnico de nível superior nas comunidades. Nossos conceitos claros e seguros sobre práticas corretas de manejo e manutenção de Meliponíneos e meliponários foram descaracterizados por falta de conhecimento e experiência de Meliponicultura, é o que tá escrito na postagem anterior.
Apresento aqui a retomada da ética e planejamento estratégico, pautados em Metodologias Participativas.
Foto 1) Ampliação do Meliponário -  A casinha de bode (palhocinha) foi posta abaixo, sabe porque? Fácil, Meliponário é o local onde bem instalamos as colmeias de Meliponíneos. A casinha de bode virou abrigo para a máquina de triturar composto, longe do meliponário.
Foto 2) Meliponário ampliado - (200 colmeias, 50 com abelhas, previsto para reproduzir e alcançar as 200 até novembro). Local onde respeitamos espaços, sombreamento e segurança para as colônias de Meliponíneos.
Agora as famílias já capacitadas, estão reproduzindo as colônias e sequenciando o meliponário que foi erradamente fragmentado.
Saí das Comunidades com o Planejamento e avaliação participativa realizados e descobrimos que, a turma está apta para alimentar, reproduzir e ampliar meliponários com a capacitação recebida e sem a interveniência de técnicos e pseudo técnicos.
Ficou entendido que as Famílias Meliponicultoras organizadas, podem e devem, também, dizer não pra turma que chega ensinando cortar coco no meio para substituir as cumbucas de alimentação, ou aquelas famigeradas fórmulas de xarope para alimentar as abelhas. Cuidado, a turma está bem preparada para os desafios. Também digo mais, chegar e pegar o trabalho assim é moleza, ou não é?

Seguidores